----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O que é, e o que faz a Ordem Fermé do Brasil?

--------------------------------------------------------------------

 
Ordem Fermé do Brasil (leia-se Fermê), NÃO é seita, NEM religião, NEM entidade secreta; e sim, um grupo participativo limitado, que surgiu em 2012, e cujos membros tem como objetivo, levantar recursos para projetos de empreendedorismo dentro da própria Ordem Fermé, ou de terceiros, através do financiamento colaborativo ou Crowdfunding.

Todos os resultados positivos são contabilizados e divididos com o grupo ao findar do ano, através de balanço geral. Funciona com um número limitado de colaborações por empreendimento, aos quais seguem princípios e diretrizes, buscando a Ordem Fermé sempre servir na ética, qualidade e respeito, para conquistar e repartir nossos sucessos com seus colaboradores. 

Em outras palavras, se resume ao seguinte: Cada pessoa contribui com um valor (
trata-se de um valor baixo (até R$1000,00), que pode ser único ou mais, dependendo do seu interesse)  sendo que este valor é aplicado com os demais em pequenos negócios (Startups) administrados pela Ordem Fermé, onde os lucros anuais são contabilizados e depois divididos com os membros, lucros que são chamados de recompensas, conforme sua participação!

Veja Fluxograma ao lado +>


Por que este sistema?

Muitas pessoas de poder aquisitivo médio e baixo caminham para uma escravidão invisível, onde não conseguem poupar, e muito menos empreender, onde a espera por uma aposentadoria é eterna, na qual "futuro" é apenas uma palavra, em um universo de trabalho, suor e estresse...!


Não finja estar bem, fique bem...!

Então por quê não confiar em si mesmo e alguém que trabalhe para você, que saiba empreender, transformando parte da sua luta em futuras alegrias...?

Para se fazer prosperar "do nada" é necessário muito esforço, conhecimento e experiência... Fazer um negócio "dar certo" é quase uma questão abstrata, pois muitos (e quando digo muitos, refere-se a 8 em cada 10 pessoas) tem qualidades e competencias acima do comum... e ainda assim quebram!

Veja que empreender e sair vitorioso é uma questão de numeros: 2 de cada 10 empreendedores se estabilizam financeiramente, oito desistem, ou literalmente vão a falencia! Ou seja,
suas chances sozinho (a) são mínimas!


Mas uma coisa é absolutamente certa: Sem experiência e dinheiro poucos passos podem ser dados. Do entendimento de todas estas características, a Ordem Fermé possui um corpo técnico e administrativo de alta competência, e cria fundos próprios para garantir o sucesso de empreitadas acolhidas por nossos membros.

Enquanto você se esforça a mais trabalhando, vendendo ou negociando para ganhar um "extra"; nós, de maneira planejada e organizada, com dinheiro, conhecimento, experiência e tecnologia, fazemos isso para você...!
Criamos pequenas empresas e produtos onde trabalhamos muito e com competência para nosso sucesso, e dos nossos membros! Não há misterio:
Lutar sozinho é arriscado, caro, dificil e ... cansa
!

Veja bem, nós da Ordem Fermé do Brasil  NÃO propomos uma fórmula milagrosa de ganhar dinheiro ou enriquecer, pois isso não existe... Somente para picaretas! Se você busca aplicação rápida e lucros exorbitantes, como pregam muitos por aí, desista, você NÃO pode ser nosso membro! Aplicamos à sua pequena contribuição, nosso conhecimento, trabalho e planejamento, em negócios reais e lícitos, para que, em médio e longo prazo, suas recompensas possam ser motivos de alegrias mensais e não desânimo, como possam estar ocorrendo com você agora...

Temos um grande apreço por nossos membros, e entenda que tudo pode ser mais fácil quando temos um aliado como a Ordem Fermé... Com muito pouco você pode participar, sendo ela facultativa, e sua progressão financeira acompanha nossos resultados...

Mesmo que você não tenha condições hoje de participar conosco, acompanhe nossa jornada para confirmar sua confiança em nossos empreendimentos... Podemos auxiliar também na sua educação financeira com dicas relevantes, caso precise de ajuda... Entre em contato conosco e peça sem compromisso maiores informações: (47) 9 8866 0664.

Se deseja saber como tudo isso começou, não deixe de ler nossa história nas linhas abaixo...

 

Por que o crowdfunding da Ordem ferme do Brasil?

Aconteceu em 2012...

Em certa ocasião, um cliente me questionou a respeito de um projeto de um novo produto para seu negócio, relativamente complexo. A idéia do projeto era sem duvida, muito interessante, tanto em aspectos técnicos como comerciais, mas como todo bom produto, tinha o inconveniente de ser algo que necessitasse de pesquisas, desenvolvimento de protótipos e testes de ensaio. Estas palavras se resumem em uma outra mais usual: Custo! Ficou impraticável para o cliente, mas decidi auxiliá-lo para o lançamento deste produto, pois além de considerá-lo interessante, sabia que o retorno financeiro seria inevitável, para ambos!

Mas como fazê-lo, sem que inicialmente me prejudicasse financeiramente, pois tempo e dinheiro seria investido, e o meu cliente no momento, carecia de recursos financeiros, devido a um investimento errado, que havia consumido boa parte de seus bens e que arrastou consigo sua paz de espírito e limitou seus caráter empreendedor? Já eu, não podia naquele momento bancar o altruísta.
Confesso que aquilo "martelou" um bocado em minha mente, e não via como podia ser resolvido senão pelo tempo, ao qual meu cliente não parecia dispor de muito... Mas para certas leis, o destino se incumbe de protagonizar.
 



No fluxograma abaixo, você pode ter uma ideia melhor de como funciona:




  
"Você até pode ter uma excelente ideia, ou criar um produto revolucionario para o mercado; participar de programas de afiliados ou marketing multinivel. Pode ser ainda dinâmico, inteligente e ousado... Mas Sem experiência e dinheiro poucos passos podem ser dados. Do entendimento de todas estas características, a Ordem Fermé possui técnicos e engenheiros, e cria fundos próprios para garantir o sucesso de empreitadas..."



"Não pense em quanto custa algo, mas sim em quanto este algo pode render. Pense em retorno.


"Não economize no varejo e desperdiçe no atacado"


"Cansado de ver um rendimento insignificante de seu dinheiro? Suas festas e gastos ultrapassam seus ganhos? Re-pense seus objetivos!"


"Nós somos o que fazemos repetidamente. A excelência, portanto, não é um ato, mas um hábito."
Aristoteles


Reclamar vai contra a felicidade e riqueza...!


Aprendizado ideal mesmo, na minha concepção é o que propusemos a fazer na prática. Ela nos dá o retorno do que funciona e não funciona, e pasmem, aprende muito mais que outros já disseram e você ouviu falar deste mesmo aprendizado, e principalmente "encanta!"

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Há poucos dias adiante, em uma festa de aniversario, comentei descontraidamente com alguns amigos sobre o dilema que estava envolvido; quando subitamente, um deles me interrompeu com o seguinte questionamento: Quanto custaria o desenvolvimento deste produto??? ... Como já havia previamente calculado para o cliente, respondi em tom indiferente, o valor que custaria o projeto integral. Obviamente, naquele momento não via interesse em meu cliente e muito menos eu em se confiar a um investidor, pois o risco envolvido e/ou a possibilidade de se envolver com agiotagem, não me deixava confortável. Não mesmo...!

Mas para minha surpresa, naquele momento, quatro deles se interessaram pela idéia de "bancar" o projeto, em troca de alguma "recompensa". Se até aquele momento aquilo martelava minha mente, após este dia, a coisa ficou incontrolável. Vi o quão as pessoas podem se interessar em negócios como este...

Tinha então que encontrar uma saída ao meu cliente que pudesse não só desenvolver aquele produto, mas também ser capaz de honrar todos os compromissos que pudesse assumir, e imaginar também como aquilo pudesse de alguma forma me beneficiar...
Foi quando me deparei com o Crowdfunding... Claro!...Genial! Imagine captar recursos de interessados no desenvolvimento deste projeto, mas de forma limitada, de vários deles, de maneira que não necessitassem investir muito, pois ainda havia o "risco", e caso o produto não vingasse, o prejuízo individual seria relativamente pequeno, insuficiente para "criar" pesadelos; entretanto, caso o produto penetrasse no mercado nacional, uma pequena porcentagem de seu lucro poderia significar uma recompensa louvavel a estes investidores, inclusive a mim, por ter realizado tal produto, recebendo pelo meu trabalho e ainda ganhando também uma comissão por cada produto vendido...

Mas ainda era cedo pra comemorar. Tinha que conversar inicialmente com o cliente, propondo a realização de seu projeto em troca de uma pequena porcentagem em cada produto vendido seu para repartir com os investidores. Alem disso, tinha que, novamente "negociar" com meus amigos interessados, para que pudessem investir realmente na idéia...

Na verdade, foi aí que encontrei as verdadeiras adversidades, e pude compreender certos "dogmas" do ser humano na sociedade neoliberalista. Contrário a minha imaginação, a proposta foi muito bem recebida pelo cliente, que , diga-se de passagem, possuía, embora precária, uma estrutura comercial e alguns vendedores, de modo que pensei que tal proposta não poderia ser bem acolhida. Concluída a primeira etapa, fui ao encontro dos meus "amigos investidores" interessados no negócio, pulverizado no aniversario. Neste espaço de tempo, pude sentir como a emoção ou o chamado "fogo de palha" pode reger o ser humano. Dos quatro interessados, somente um concordou em levar adiante tal iniciativa. Não posso negar que a frustração tomou conta do meu "eu" nesta fase, mas ainda assim, na minha mente, este "insight" do Crowdfunding era algo potencialmente arrasador... Arregacei as mangas, e comecei a divulgar aos conhecidos a proposta.

De fato, a proposta era realmente bem recebida entre os potenciais investidores com quem conversei. Mas como todo bom vendedor sabe, a curiosidade não acompanha o risco. Quando questionados a fechar negócio, as desculpas eram das mais variadas... Somente após muitos telefonemas, discursos, planilhas e argumentações, consegui cinco "investidores" que resolveram enfim topar a empreitada. ... Agora era a minha vez...!

Durante as oito semanas que se passaram ao projetar o primeiro protótipo, qualidade, robustez e segurança eram as palavras chaves do desenvolvimento deste. Lembro-me bem quando o apresentei ao cliente e aos investidores, que, vendo a materialização dos encontros e despesas, ficaram muito animados, embora todos sabíamos que somente uma etapa estava concluída, tínhamos ainda um bom percurso a frente...

A segunda versão ( ou protótipo) do produto teve seus aspectos físicos melhorados, bem como algumas alterações técnicas, por conta da exigência do mercado ou devido aos nossos "olhos". De pronto, então solicitamos a montagem de 50 unidades, para a primeira inserção oficial no mercado regional, e assim poder observar seu comportamento "comercial".

...

 

...

 

...

Este espaço foi propositalmente deixado em branco para o leitor poder tentar compreender como na época estávamos aflitos em relação a resposta comercial de nosso produto ou criação, no mercado, afinal foi com muita luta, e contagem de moedas para alcançar este ponto...!

... Nas linha a seguir, MEMBROS REAIS DA ORDEM FERMÉ DO BRASIL compartilharam a veracidade
dos fatos e eventos descritos...!

 

Sempre desenvolvi projetos e produtos que agregassem valores, mesmo antes de me formar, mas sempre de maneira "normal", onde os cliente me pagavam formalmente pelo desenvolvimento, qualquer que fosse! Esta tinha sido a primeira vez que havia desenvolvido um produto sem o cliente gastar "um tostão", e embora visto como loucura em função do risco, tinha confiança no produto, cliente e mercado, e na visão de negócio ao qual estávamos "testando".

Passados três semanas, o cliente veio me visitar... Tínhamos combinado este encontro previamente para discutir sobre o produto, sua aceitação e/ou possíveis melhorias. A primeira coisa que ele falou quando sentou a mesa foi a seguinte frase: "Vamos precisar fazer mais 200 peças..." Vendemos as 50 que possuímos e a aceitação do produto foi muito boa nas revendas... "E olha que nosso preço nem é competitivo suficiente para entrar nas distribuidoras." Estava emocionado e ao mesmo tempo já imaginando como reduzir custos para que o produto ficasse mais competitivo.
 ...

Claro, passados 8 meses desde o lançamento do produto, fizemos melhorias e reduzimos custo. Atualmente (2016) são vendidos cerca de 1100 produtos deste por mês, e ainda pudemos desenvolver mais um produto para este cliente, e já estamos desenvolvendo o terceiro, que muito provavelmente será outro bom sucesso de mercado! É claro que quando digo sucesso de mercado, vejo isso relativamente ao que foi gasto, e em escala regional...
 

Apenas um, dos 12 volumes produzidos em 2013 do produto por mês, derivado da Ordem fermé do Brasil...!

 

Nossos 5 investidores nunca puderam imaginar algo assim... Obviamente ninguém ficou rico com este empreendimento, mas freqüentemente ouço um e outro comentar que não iriam realizar este investimento, por motivos pessoais ou medo do risco, e o quanto se sentem felizes hoje por terem ainda assim acreditado. E tem mais... Enquanto o produto estiver sendo vendido, continuaremos a ganhar, e as expectativas do cliente são as melhores possíveis, pois o produto ainda nem entrou no mercado do sudeste e nordeste, ao qual acredita-se triplicar as vendas...

Pode também surgir a duvida de como controlamos a quantidade de vendas. Mas, além da confiança que tanto prezamos, temos controles específicos para cada produto que lançamos... Cada produto que que é vendido, acompanha um "chip" programado e gravado internamente, cujo código é inviolável. Desta maneira, cada produto recebe um destes chips internamente para poder funcionar...

Observe que, com imaginação, confiança, trabalho árduo e espírito de compartilhamento, todos ganham, e todos estão muitos satisfeitos com esta empreitada, embora houvesse ainda assim riscos...!

Agora imagine diversos outros produtos, cliente e mercados, sendo preenchidos pela força do Crowdfunding, onde os produtos não vingados são "preenchidos" pelos sucessos dos outros, resultando na sua maioria em números positivos. Se não bastasse isso, ainda alia-se a capacidade de nosso pessoal, sua formação e experiência em diversos segmentos!

Esta é apenas uma das várias historias que compartilhamos com você, e ainda temos muitas mais, talvez futuramente até com a sua participação...

Placa Atual (2017) com Tecnologia ARM

Então seja um membro da Ordem Fermé do Brasil hoje, pois muito certamente, devido a limitações de negócios e capacidades estruturais, a participação logo será limitada! Isto já está em nossa diretriz, para não atrapalhar nossos negócios...


Então, depois de se tornar MEMBRO REAL DA ORDEM FERMÉ DO BRASIL, poderá conhecer totalmente este e outros produtos e serviços que contam a nossa historia...


Maximize suas idéias, aperfeiçoe seu intelecto, e atinja seus objetivos de maneira muito mais eficiente. Tudo isso será compartilhado gradativamente como membro da Ordem Fermé do Brasil. Caso possua interesse em saber mais e/ou se juntar a nós, escreva-nos ou ligue, mostrando seu interesse através de nossos meios de contato:

(47) 2122 8496

(47) 9 8866 0664 (Claro)

(47) 9 9194 3544 Whatsapp (Vivo)

 
julio.pk2lab@gmail.com

 

"Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás". EC11.1
Tenha confiança de que mesmo sem saber qual semente possa germinar, a certeza é de que a colheita será abundante!


 


VITA ET FORTITUDINEM

Ordem Femé
 no
Facebook

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

https://www.projetoeletronico.com.br

© Copyright 2012-2018 ordemferme.org - Todos os direitos integralmente reservados! Inf: (47) 99194 3544
O Brasão, fotos, textos, produtos e símbolos são propriedades exclusivas da Ordem Fermé do Brasil!